26 abril 2014

Resenha: Livro Extraordinário


Título: Extraordinário
Autora: R. J. Palácio
Editora: Intrínseca
Página: 318
Nota: 

Sinopse:
August (Auggie) Pullman nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade...até agora.
Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Resenha:
por Denner Soares (obrigada <3)
O livro possui uma narrativa singela, que faz com que você leia rapidamente, é dividido em oito partes, subdivididas em capítulos pequenos, o que torna a leitura gostosa e leve, e faz você se veja completamente tocado pela história. Transmite uma bonita mensagem ao longo da leitura, conforme as diversas visões da história, já que possui vários narradores - August e as pessoas que convivem com ele.
"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil." – Sr. Browne.
No livro o professor Browne dá uma frase por mês para se pensar nela, as frases são lindas, e isso acontece para que no final do ano, os alunos possam contribuir com seus próprios preceitos. Com o livro vamos relembrar a não julgar pela aparência e vermos que muitas vezes nossos problemas são menores do que imaginamos. "Eu acho que toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo." - August Pullman.

Resenha do skoob:
Comum x Extraordinário por Yaah
Acredito que em Extraordinário, a R.J.Palacio quis expressar o que um dia já passamos ou que passaremos em algum momento da vida. A verdade é que isso não quer, necessariamente, dizer que um problema físico ou outra coisa do gênero fará com que você seja motivo de chacota ou bullying, o que pra mim a Palacio deixa claro em uma mensagem subentendida é que, logo no começo Auggie não diz o qual é sua verdadeira aparência, porque a meu ver Auggie poderia ser você, eu ou qualquer pessoa, - mesmo que ao longo dos capítulos ele comece a dar algumas informações sobre como é sua verdadeira aparência. - é aquela questão que qualquer um pode estar sujeito a esse tipo de agressão, apenas pelo fato de ter ou não ter algo que todos considerem “normal”.
E, me diga, alguém sabe o que é “normal”?
É o que você é? Ou o que a sociedade acredita que seja e empurra isso para as massas? E ao mesmo tempo exclui quem não se encaixa nos padrões de sua “normalidade”?
Ler Extraordinário é voltar aquele primeiro dia de tudo. O momento em que você conhece alguém fora do seu circulo habitual, o primeiro dia de escola, a primeira aula, aqueles primeiros contados com o mundo, fora da sua bolha de segurança. Auggie faz o leitor reviver e andar com ele passo a passo, em cada momento de sua vida, mergulhando em questões que acredito que toda criança já passou em sua vida.
Por que as pessoas são tão más com as outras? O que as faz diferentes de mim ou de você? O que eu tenho de tão Extraordinário? E o que elas têm de tão “normal”?
São várias e várias questões que são tratadas nesse meio, e Auggie é de longe um personagem doce e gentil, uma criança que ao se ver sendo diferenciada e separada da sociedade por ser diferente, começa a se sentir realmente diferente e querendo ser normal. E se o leitor parar para analisar esse é um lado que nem depois de crescidos as pessoas o perdem, porque é algo que todos sempre estamos tentando alcançar em questão de “normalidade”.
Quem nunca se sentiu inseguro com alguma parte do corpo, apenas depois que alguém apontou aquilo como “diferente”, “feio”, “estranho”?

Quem nunca gostou de algo e por ter alguém que disse algo maldoso ou tirou sarro de você, por gostar de algo assim, fez com que você parasse de gostar do mesmo?
Quem nunca se sentiu atingido por apenas se sentir de um jeito ou ter um pensamento, que discordava do restante, acabou se reprimindo?
Todas essas questões alguma vez acontecerão com você algum dia e a resposta, inconsciente ou não, será a de tentar ser “normal”, se “encaixar”, de tentar se transformar em algo que você não é pra ser a aceito. Bullying é uma agressão, seja ela emocional ou física.
Praticar Bullying não é nem de longe algo legal ou aceitável, pela simples razão de que ninguém é melhor do que ninguém e o que talvez seja diferente pra você, não seja incomum para mim. O problema do Bullying, é entender o que significa respeito e praticá-lo no dia a dia, se você nem ao menos conhece a pessoa, como pode julga-la? E mesmo que a conhecesse, com que direito você tem de julga-la?
Extraordinário é um livro que faz você voltar no tempo e andar junto com Auggie, um livro encantador, doce, com várias lições de vida para se refletir e pensar.Como Auggie toca cada vida em que passa de um jeito único, principalmente a do leitor. Extraordinário é literalmente um livro Extraordinário.